Bife, ele era o gol!

“Foi o mais perfeito de todos”; “Ninguém sabia fazer gols como ele”; “Na área, era simplesmente mortal”; “Nasceu na época errada, se jogasse hoje, estaria brilhando na Europa”; “Nunca mais passou um artilheiro como ele por aqui”, “No Brasil, não tem um centroavante como ele”; “Era quase impossível de ser marcado”; “Era um gênio dentro

Continue Lendo →

Mosca, o maestro tricolor

Carlos Henrique Pedroso, o Mosca, foi um dos mais habilidosos e geniais meias do futebol regional, e tem seu nome intimamente ligado a história do Clube Esportivo Operário de Várzea Grande. Aportou em solo mato-grossense após um início de carreira promissor no futebol paulista, sendo inclusive apontado pela imprensa da época uma das maiores promessas

Continue Lendo →

Ruiter, o gênio indomável

Temperamento forte, gênio instável e uma intimidade com os gramados e a bola comparável a poucos, pouquíssimos. Polêmico e talentoso, Ruiter Jorge de Carvalho, também ganhou fama de chorão, sempre reclamando – principalmente da arbitragem -, e entrou para a história do futebol de Mato Grosso como exímio lançador, armador e cobrador de faltas. Careca

Continue Lendo →

Eterno capitão alvinegro

Rômulo Augusto Corrêa da Costa orgulhava-se, e muito, do slogan: ‘eterno capitão alvinegro’. Defendeu o Mixto por 18 anos, acumulou inúmeros títulos e conquistou para sempre o coração do torcedor. Figura como um dos grandes jogadores da história do Tigre. Rômulo conquistou 9 títulos estaduais com a camisa do Mixto, onde comandou equipes recheadas de

Continue Lendo →

O amigo do rei

Ele é carioca de Copacabana, começou a carreira no Botafogo, jogou ao lado de Pelé no Santos Futebol Clube, foi reserva do capitão do tri mundial Carlos Alberto Torres e é até hoje reverenciado como um símbolo da garra mixtense. Ele é Luis Carlos José da Silva, o Beleza. A vida no futebol começou aos

Continue Lendo →

Um Pelé cuiabano

Início da madrugada de 1º de março de 1981, por volta da 1h. Era Carnaval. Um Passat amarelo acelera pela Avenida Fernando Correa da Costa em alta velocidade, com 7 ocupantes – dois homens e cinco mulheres. O motorista perde o controle do carro e bate de frente com um poste. A morte dele e

Continue Lendo →