Esta página registra o histórico de alguns dos grandes jogadores da história do futebol de Mato Grosso, principalmente da Baixada Cuiabana e especialmente a partir da década de 1970.

 

ADEMAR

ademarAdemar Rodrigues da Silva

Meia-direita

Nasceu dia 25 de fevereiro de 1952 em São Paulo.

Jogador de técnica apurada e comportamento genioso, Ademar começou a carreira no Palmeiras-SP.

Chegou em Mato Grosso em 1980 para defender o Mixto vindo do Londrina-PR, time pelo qual conquistou o título da Taça de Prata do Campeonato Brasileiro. Antes disso, jogou também no Paulista de Jundiaí-SP, Noroeste de Bauru-SP, União Bandeirantes-PR, Matsubara-PR, Atlético-PR, Santa Cruz-PE e São José-SP.

Em Mato Grosso, além do Mixto defendeu também o Operário de Várzea Grande e o União de Rondonópolis.

Parou em 1990 e mora em Cuiabá.

ADILSON

ADILSONAdilson Davi

Meia atacante.

Um dos maiores jogadores da história do Clube Esportivo Dom Bosco. Craque, habilidoso, artilheiro, genial.

Começou a carreira no Santos, onde jogou no time principal com Pelé.

Em 1977 veio para o Azulão da Colina.

Também jogou no Palestino do Chile e no Operário e no Comercial de Campo Grande (onde encerrou a carreira em 1990).

Mora em Santos.


ADMIR MOREIRA

admir moreira

Admir hoje

Admir Neves Moreira

Meia

Cuiabano, nasceu em 3 de fevereiro de 1947.

Jogou no Mixto, Operário-VG, São Cristovão e no Palmeiras de Cuiabá.

Encerrou a carreira na década de 70.

Admir no Mixto em 1969

Habilidoso, criativo, líder. Foi craque.

Virou técnico de futebol dirigindo várias equipes, especialmente o Mixto Esporte Clube.

Foi secretário de Esportes de Cuiabá e do também do Estado de Mato Grosso.

Além do futebol, teve também atuação destacada como técnico de futsal, dirigindo grandes equipes como a Associação Atlética Uirapuru e o Gercafi, entre outras.

Mora em Cuiabá.


BARGA

Ariovaldo Barga

Meia esquerda.

Veio do Colorado do Paraná (hoje extinto) para o Clube Esportivo Dom Bosco e fez história no futebol de Mato Grosso ao lado de Adilson no timaço que o Azulão formou para disputar os Campeonatos Brasileiros de 1977 e 1978.

Também jogou no Mixto, no Remo-PA e no Ferroviário-CE.

Começou a carreira nas categorias de base do Santos.

Mora em Santos.


BIFE

bife-80José Silva de Oliveira

Centroavante

Maior artilheiro da história do Estádio Governador José Fragelli, com 92 gols.

Nasceu no dia 28 de setembro de 1949 em Vera Cruz, no interior paulista.

Começou no Guarandy de Aquidauana, Mato Grosso do Sul, onde, quando garoto, ganhou o apelido de Bife porque comia escondido a carne da marmita que levava para o pai.

Chegou em Mato Grosso em 1971 para defender o Operário de Várzea Grande, trazido pelo então presidente Rubens dos Santos.

Depois jogou no Mixto – onde se tornou a “Fúria Negra” (apelido dado pelo narrador Márcio de Arruda) – Comercial-MS, São Bento-SP, Atlético-MG, Atlético-MT, União de Rondonópolis, Porto e Belenenses (Portugal).

Encerrou a carreira em 1986 e em 1992 teve uma curta experiência como técnico do Operário de Várzea Grande, sem sucesso.

Morreu dia 16 de fevereiro de 2007, aos 57 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos, conseqüência de uma cirrose hepática.

VEJA alguns gols do artilheiro Bife, extraídos do DVD ‘Bife, um nome de gol’, do jornalista Macedo Filho:

Imagem de Amostra do You Tube

VEJA entrevista do artilheiro no DVD ‘Bife, um nome de gol’, do jornalista Macedo Filho:

Imagem de Amostra do You Tube

CÉSAR DIABO LOIRO

João César Neto Filho

Volante e meia

Nasceu no dia 22 de junho de 1951 em Belo Horizonte.

Chegou em Mato Grosso em 1972 para jogar no Operário de Várzea Grande depois de passar por América-MG, Nacional-AM e Comercial-MS. Depois do Operário, também passou por Mixto e Palmeiras de Cuiabá.

Técnico, dono de um estilo elegante, César também era um exímio cobrador de faltas.

O apelido surgiu em razão do “futebol endiabrado” e da vasca cabeleira loira.

Encerrou a carreira em 1981, com a camisa do Operário, e mora em Várzea Grande.

DITO SIQUEIRA

DITO SIQUEIRABenedito de Siqueira

Meia e atacante, mato-grossense de Várzea Grande.

Dono de um chute forte e sempre com efeito, começou a carreira no Operário de Várzea

Grande em 1980 e ainda garoto foi para o time juvenil do Flamengo, Retornou pouco tempo depois para conquistar o título estadual de 1983 pelo Operário, ajudando o time a quebrar um jejum de cerca de 20 anos.

Depois atuou em várias equipes do futebol brasileiro, como o América de São José do Rio Preto, defendendo também diversas equipes de Mato Grosso, como Mixto, Tangará,

Juventude e Sinop, entre outras.

Foi duas vezes artilheiro do Campeonato Mato-grossense: em 1985 com 14 gols jogando pelo Operário em em 1992 com 15 gols atuando pelo Sinop.

Encerrou a carreira profissional em 2001 e passou então à ser um dos destaques da Copa Gazeta de Futebol Master.

Trabalhava como motorista de táxi e morreu em maio de 2006, aos 41 anos de idade, vítima de um acidente de trânsito em Várzea Grande, quando sua motocicleta colidiu na traseira de um ônibus.


DIRCEU BATISTA

DIRCEU BATISTALateral e volante.

Mineiro de Pedro Leopoldo, nasceu no dia 8 de maio de 1949.

Dono de um pulmão privilegiado, era um jogador aguerrido e incansável.

Começou nas divisões de base do Cruzeiro, de onde saiu para correr o Brasil. Passou pelos mineiros América, Caldense, Flamengo de Varginha, Valeriodose e Atlético de Três Corações, além de Dom Bosco e Operário de Várzea Grande.

Chegou em Mato Grosso em 1973 para defender o Operário e encerrou a carreira em 1984 jogando pelo Dom Bosco.

Mora em Várzea Grande e virou professor de escolinha de futebol.

ERNÂNI

Ernani Andrade da Costa

Ponta direita

Nasceu no dia 6 de janeiro de 1952 em Nilópolis (RJ).

Jogou no Mixto, Dom Bosco e Operário. É oficial de justiça e sambista.

Encerrou a carreira de jogador profissional no começo dos anos 80.

FAGUNDES

Fagundes da Conceição

Goleiro

Nasceu em 1951 em Minas Gerais.

Jogou no Araguari (MG), Operário e Atlético Mato-grossense, onde encerrou a carreira na década de 80.

FIDÉLIS

Fidélis Bento Filho

Meia

Nasceu dia 18 de junho de 1954 no Rio de Janeiro

Começou a carreira em 1973, com Zico, Rondinelli e vários outros craques que fizerm história com a camisa do rubro-negro carioca.

Jogador de extrema categoria, Fidélis veio para Mato em 1974 para defender o Mixto depois de passar por Sergipe e Remo-PA.

Depois ainda voltou ao Remo, jogou no Mixto, novamente pelo Dom Bosco, passou pelo Operário de Várzea Grande, jogou no Atlético Mato-grossense e encerrou a carreira em 1985 com a camisa do Azulão.

Mora em Cuiabá.

GAGUINHO

Ricardo Roberto dos Santos

Zagueiro

Nasceu no dia 1° de dezembro de 1948.

Jogou no Operário, onde chegou em 1971 vindo do Rio de Janeiro, e encerrou a carreira no começo da década de 80.

É oficial de Justiça em Cuiabá.

 

GÉRSON LOPES

GeRSON LOPESGerson Lopes Dias

Centroavante

Mato-grossense de Alto Paraguai, onde nasceu dia 18 de feveriro de 1959.

Começou no Operário de Várzea Grande e viveu seu grande momento no Flamengo de Zico, em 1980, onde durante um curto período chegou a colocar o grande Cláudio Adão no banco e formar dupla com o “Galinho”.

Depois de ser profetizado pelo técnico Claudio Coutinho como um “futuro grande craque”, Gérson acabou perdendo espaço na Gávea e a partir daí perambulou pelo Brasil: passou por Goiás-GO e Santo André-SP, além dos gaúchos Caxias, Juventude, Guarani-Cruz Alta, Aymoré, Ipiranga-Erechim e Guarany-Venâncio Aires, entre outras equipes.

Se destacava pela sua impulsão e precisão nas finalizações.

Mora em Cuiabá.

GILSON LIRA

Gilson Lustosa de Lira

Centroavante

Nasceu em Natal, Rio Grande do Norte (7/3/1948).

Homem gol, Gilson começou nas divisões de base do Fluminense-RJ. Jogou no Bangu-RJ, Grêmio de Maringá-PR, Náutico-PE, Galícia-BA, ABC-RN, Grêmio Anapolino-GO, Operário-MT, Comercial-MS e União-MT.

Chegou a Mato Grosso em 1973 e se destacou principalmente com a camisa do União, onde marcou 199 gols – é o maior artilheiro da história do ‘Vermelhinho’.

Parou de jogar profissionalmente em 1980 – no União.

É professor, poeta e radialista.

Mora em Rondonópolis.

GONÇALVES

goncalvesValdevino Gonçalves

Ponta

Nasceu em 1952 na cidade de Ituiutaba-MG.

Velocista e oportunista, Gonçalves marcou época no futebol de Mato grosso defendendo Mixto e Dom Bosco.

Chegou na década de 70 vindo do Brasiliense-DF para jogar no Dom Bosco.

Fora do Estado, atuou apenas pelo Santa Cruz de Recife, disputando um Campeonato Brasileiro.

Encerrou a carreira em 1990, aos 38 anos.

Mora em Cuiabá.


IÚCA

IuCAJosé Domingos da Silva Luz

Meia atacante. Um baixinho ‘infernal’ para os adversários. Inteligente, rápido, driblador e artilheiro.

Iúca foi revelado pelo Dom Bosco onde formou uma grande dupla com seu amigo Vitor.

Depois atuou também no Operário e no Mixto, além de equipes do interior do Estado.

Encerrou a carreira em 2004.

Mora em Cuiabá onde ainda desfila seu talento nos campeonatos amadores e na Copa Gazeta Master.


IVANILDO

ivanildo1Ivanildo Luciano da Silva

Ponta-esquerda.

O ‘Arara’ como era chamado tornava a vida de qualquer lateral um inferno.

Rápido, driblador, preciso nos cruzamentos e bom finalizados, Ivanildo foi ídolo no Operário e também atuou no Mixto.

Veio do futebol pernambucano para Mato Grosso em 1980.

Também jogou no Mixto.

Morreu em Recife em março de 2014.


JOEL DIAMANTINO

Joel Abre Valadares

Meia-esquerda

Nasceu no dia 14 de agosto de 1953, em Diamantino-MT

Extretamento técnico, foi um dos grandes jogadores de todos os tempos do futebol de Mato Grosso.

Começou a carreira no Operário de Várzea Grande em 1971, de onde saiu em 1973 para jogar no Dom Bosco.

Também passou pelo Palmeiras de Cuiabá e pelo Cáceres, além de mais um período no Operário.

Encerrou a carreira em 1983 e mora em Cuiabá.

JORGE MACEDO

JORGE MACEDOJorge Luis de Oliveira Macedo

Zagueiro

Carioca, nasceu no dia 11 de setembro de 1951.

A carreira de jogador começou nas divisões de base do Vasco da Gama e se profissionalizou na Portuguesa da Ilha do Governador-RJ.

Chegou em Mato Grosso em 1974 para jogar no Mixto, onde ficou por sete anos e formou com Nélson Vasquez uma dupla inesquecível.

Zagueiro alto e muito técnico, Jorjão raramente dava pontapés ou chutões.

Depois do Mixto, também atuou em Mato Grosso pelo Dom Bosco, Palmeiras de Cuiabá, União de Rondonópolis e Operário de Várzea Grande, onde encerrou a carreira em 1984.

Antes de chegar em nosso estado, também jogou no Fluminense de Feira de Santana-BA e Juventus de SP.

Mora em Cuiabá.

LÚCIO BALA

LuCIO BALALúcio Alves Pompeu de Campos

Ponta-direira

Nasceu em 1956 na cidade de Várzea Grande.

Veloz e habilidoso, Lúcio começou a carreira no Dom Bosco e viveu seu melhor momento na Ponte Preta, onde ficou quatro anos e chegou a ser pré-relacionado para a Copa do Mundo de 1978, fato que se repetiu na Copa de 1982.

Depois jogou também no Flamengo, Palmeiras, Guarani de Campinas, América-RJ,  Coritiba, Mixto e Operário de Várzea Grande.

Mora em Cuiabá.

Páginas: 1 2 3 4